sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Encontro Cultural do Santo Antônio

Encontro Cultural do Santo Antônio

É um projeto idealizado pela “Xocós” Associação Sergipana de Autores e Intérpretes Musicais Independentes, cujo corpo diretório é formado pelos cantores Antônio Rogério (Presidente), Chiko Queiroga (Vice-presidente), Gladston Rosa, (diretor financeiro) Jonatan Leite ( diretor) e Pepe ( diretor) que tinham pensado numa oportunidade de fazer alguma coisa ligada à cultura sergipana; à valorização do artista e da arte sergipana, diferente de outros eventos acontecidos em nossa cidade que não têm o objetivo concreto de dar valor 100% aos artistas sergipanos; devido a localização histórica do bairro Santo Antônio; além de ser recheado de popularidades artísticas, possui sede e pontos cultural e artisticamente turísticos como a Rua de São João e a Colina de Santo Antônio. Tendo como objetivo principal despertar no sergipano o conhecimento fazendo com que esse encontro torne-se agente multiplicador da cultura no estado atraindo assim turistas para a cidade.



A ENTREVISTA

Entrevista com o cantor Antonio Rogério da dupla sergipana ChiKo Queiroga e Antônio Rogério, há 10 anos juntos conhecidos internacionalmente, ganhadores de vários prêmios de música e festivais nacionais:

(Entrevistadoras) - Você considera-se um poeta devido as suas composições?
(Antônio Rogério) - Olha, considerar-se é um fator muito complexo, mas eu considero toda música que é feita com o coração uma poesia , eu assim... me considero um poeta da música.

(E) - Que artista te influenciou?
(A.R.) - “ ChiKo” ( ChiKo Queiroga.)

(E) - Como começou sua paixão pela música?
(A.R.) - Em 1984 ainda menino vendo uma amigo tocar violão numa viagem da igreja católica onde era coroinha rsrsrs, depois tentei o conservatório de música de Sergipe, fiz 8 anos de violão clássico e hoje tenho bacharelado em violão, são 24 anos de trajetória.

(E) - Qual sua canção predileta?
(A.R.) - São tantas, mas... Serpente, pode ser esta!

( E) - Como a sociedade pode influenciar a música sergipana?
(A.R.) - Veja, valorizar suas raízes, e suas histórias , prestigiar os artistas da terra, ahhhhhhh, tem uma coisa que falta muito no sergipano e que a muito tempo eu luto pra resgatar isso é o “bairrismo”, por exemplo se alguém fala mal do baiano na Bahia ele briga, o sergipano às vezes até ajuda a falar mal dos próprios sergipanos, voltando a pergunta, acredito que falta amor a Sergipe e ao espírito de sergipanidade.

(E) - Como os governantes podem ajudar a cultura?
(A.R.) - Pra você ter uma idéia nos somos reconhecidos lá fora temos até proposta pra morar no exterior, quando se sai um pouco ( do Brasil ) a gente percebe que os países que investe em cultura e educação , o espírito e outro, a ótica é outra, aqui ( em Sergipe) o governo tem pouca ou nenhum envolvimento com a cultura local e pior ainda, não tem noção de quanto iria influenciar, economicamente, turisticamente, socialmente e até pedagogicamente nosso Estado, por exemplo a Bahia com o axé, Recife com o frevo, Ceará com forró, Maranhão o Boi, se você parar pra analisar Sergipe esta totalmente fora do contexto cultural, falta comprometimento dos governantes por Sergipe.


Biografia - Aracaju-Se, cantor, compositor, estudou violão clássico no conservatório de música de Sergipe, instrumentista, toca violão, baixo, e viloa., trabalhou em diversas casas no Estado de Sergipe.

Discografia –
Serpente
Chiko Queiroga e Antonio Rogério
Folia de São João
Balaio Atemporal
C’ lariou Vol 1 e 2
Canta-SE
Chiko Queiroga e Antonio Rogério 10 anos.




Para refletir...

Sergipe ainda não é um estado culturalmente conhecido por não ser valorizado de maneira concreta pelos seus habitantes nem pelos seus governantes. Portanto, dependem de nós algumas atitudes para reverter esta triste e injusta situação atual da cultura sergipana, cujos artistas fazem seus trabalhos com muito amor, mas para sobreviverem dos mesmos precisam ir para o exterior. Afinal, o que você já fez ou está fazendo para mudar isto? Possui CDS, livros, artesanatos de artistas sergipanos? Freqüenta peças e shows dos mesmos? Assiste e valoriza as manifestações folclóricas de seu estado, ou simplesmente entrega-se de corpo e alma à cultura de massa imposta pelos poderosos, vindas de outros estados? Qual a sua posição, por exemplo, quando vai à Orla de Aracaju e acaba por deparar-se com apresentações de trios pés de serra não sergipanos? Por isso, vamos fazer a nossa parte na valorização dos artistas sergipanos e tornarmo-nos multiplicadores da nossa cultura acabando com o conceito que se é sergipana não é boa, além disso, devemos defendê-la não deixando que falem mal e mostrando o contrário. Mas, para que isso venha acontecer, é necessário passarmos a amar verdadeira e espontaneamente o nosso estado. Pense nisso!



Acadêmicas
Ana Maria Moura Santos
Deise Cristiane do Nascimento
Sheyla Samantta Santos Costa
Tamires Andrade Cavalcante
Telaine de Jesus Souza

Um comentário:

martha disse...

Querido Marcos,

gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa em divulgar as pesquisas desenvolvidas pelos acadêmicos das Faculdade São Luis de França. Muitas destas experiências são riquíssimas e precisam atravessar os muros da instituição, a exemplo do trabalho sobre o "Encontro Cultural do Santo Antonio". Também sou fã da dupla Chiko Queiroga e Antonio Rogério e adorei conhecer um pouco mais sobre eles.
Um parabéns especial para minhas queridas alunas Ana Maria Moura Santos, Deise Cristiane do Nascimento, Sheyla Samantta Santos Costa, Tamires Andrade Cavalcante e Telaine de Jesus Souza, pelo trabalho seguindo técnicas metodológicas adequadas e a simpatia com que conduziram a pesquisa. Um beijo a todas.
Até mais.
Profa Martha Suzana Cabral Nunes/FSLF